Tecnologia

Microsoft é a primeira empresa a comprometer-se com o right to repair

Conhece o que vai fazer a Microsoft para melhorar a vida aos seus consumidores

Diogo Simões
11 de Out de 2021
2 minutos de leitura
Photo by Matthew Manuel / Unsplash

Após cobrirmos no UPDATED as diversas diretrizes da União Europeia para o mundo tecnológica em que o direito ao reparo é uma necessidade para os consumidores, eis que aparece a primeira empresa tecnológica a comprometer-se.

Porque é que o “Right to Repair” é uma necessidade?
Compreende o porquê de o direito à reparação ser importante.

A Microsoft estabeleceu uma meta

A homeless in front of the Microsoft Vancouver.
Photo by Mohammad Rezaie / Unsplash

A empresa responsável pelos produtos Surface e X-Box comprometeu-se a um estudo independente de forma a compreender o impacto de tornar os seus produtos mais fáceis de reparar. As conclusões irão chegar não este ano, mas sim no próximo, com o objetivo de ter já alterações no final de 2022.

Este passo tomado pela empresa é visto como encorajador se bem que, como dizem os analistas, é somente um pequeno passo para aquilo que tem de ser feito, não só pela empresa, como toda a indústria. O certo é que este estudo, e como indica a Microsoft, visa ajudar no momento de se desenhar um produto e de expandir as opções de reparabilidade.

Getting ready
Photo by Johny vino / Unsplash

De acordo com a Grist  (uma empresa dedicada à procura de soluções sustentáveis), a empresa terá de publicar um sumário do estudo por volta de maio do próximo ano, mas não todo o estudo por razões corporativas. Todavia, e pelo índice de reparabilidade baixo dos diversos dispositivos Surface, não deverá ser difícil de perceber, em futuros modelos, que alterações fez a Microsoft.

Não é só a Europa que está junta nisto, já que a iFixit acusou no passado a empresa de estar num lobby que dificultava o direito ao reparo, e o próprio president Joe Bidem e a entidade regulamentária dos Estados Unidos têm estado ativamente a trabalhar para combater as empresas que, de forma ilegal, dificultam a reparação dos seus dispositivos aos consumidores.

Não percas pitada do UPDATED!

Assina a nossa newsletter para receberes as últimas novidades de Tecnologia diretamente na tua caixa de entrada.

Oops! There was an error sending the email, please try again.

Awesome! Now check your inbox and click the link to confirm your subscription.