Ciência

O fim do Sol: cientistas fazem a previsão da morte da estrela do nosso sistema solar

O Sol poderá formar uma Nebulosa Planetária visível a milhões de anos-luz.

Eduardo Silva
7 de Out de 2021
2 minutos de leitura
Photo by NASA / Unsplash

O Sol é uma parte essencial do Sistema Solar, sem a qual não existiria o sistema que nos dá casa, nem a Terra que nos dá vida. Esta esfera gigante que nos faz girar em seu torno é responsável pela luz que nos chega e, sem ela, nada do que conhecemos no nosso planeta seria igual.

No entanto, tudo tem um fim. O Sol, sendo uma estrela, segue um ciclo de vida que eventualmente culminará na sua morte. Atualmente contanto com 4,6 mil milhões de anos, a ciência prevê que a nossa estrela mais próxima atinja os 10 mil milhões de anos, altura em que o seu fim de ciclo de vida acontecerá.

Um estudo do ScienceAlert vem revelar que o resultado mais provável para o fim de vida do Sol será a transformação numa nebulosa planetária. O processo, tal como o descrevemos, terá várias fases e, certamente, terá consequências para o planeta Terra.

De acordo com o estudo, o Sol deverá tornar-se numa Gigante Vermelha dentro de 5 mil milhões de anos. Nessa altura, o seu núcleo terá proporções de menor dimensão, mas as suas camadas exteriores de gases e matéria vão expandir-se ao ponto de ultrapassar a órbita de Marte. Isto é, o nosso planeta será engolido com naturalidade pela estrela responsável por lhe dar vida.

Apesar desta notícia aparentemente aterrorizante, é importante referir que a vida na terra deverá, por esta altura, estar mais do que impossibilitada, especialmente para o Ser Humano. Acredita-se que dentro de mil milhões de anos deixarão de estar reunidas condições para que o nossa planeta possa ser habitável. De acordo com o estudo, o Sol aumenta a intensidade do seu brilho e consequente libertação de calor em 10% a cada mil milhões de anos, o que resultará na evaporação dos oceanos e no aquecimento da superfície do nosso planeta, ao ponto de se tornar inabitável.

Nebulosa Olho de Gato (NGC 6543) - Imagem: NASA/ESA

Após este processo, vem a conclusão do ciclo de vida do Sol. Aqui, a ciência mantém algumas dúvidas sobre a próxima fase, mas a teoria mais consensual passará a ser fase de transformação numa Nebulosa Planetária. Para tal, vários estudos acreditavam inicialmente que o Sol necessitava de ter o dobro da massa que possui.

No entanto, um estudo de 2018 com modelos a computador veio a comprovar que o Sol encolherá e passará de uma Gigante Vermelha para uma Anã Branca. O núcleo da estrela terá temperaturas tão altas e com um brilho tão intenso que a nébula de gases que a circunda formará então a Nebulosa Planetária, que durará um "curto" período de 10,000 anos, onde a luz emitida poderá ser avistada a milhões de anos-luz de distância. Este é o estágio final até que a nossa estrela queime todo o seu combustível e perca finalmente a vida.

Apesar destas conclusões, a ciência ainda mantém algumas dúvidas sobre este resultado, especialmente pela massa do Sol poder não ser suficiente para resultar numa Nebula Planetária visível a vários milhões de anos-luz.

Não percas pitada do UPDATED!

Assina a nossa newsletter para receberes as últimas novidades de Tecnologia diretamente na tua caixa de entrada.

Oops! There was an error sending the email, please try again.

Awesome! Now check your inbox and click the link to confirm your subscription.